"Os dias passavam, passavam e passavam, alcançavam as semanas, dobravam as quinzenas, atingiam os meses (...) — e nada acontecia."

“De repente me passa pela cabeça que a minha presença ou a minha insistência pode talvez irritá-lo. Então, desculpa não insistirei mais. (…) eu queria dizer que eu estava com você, e a menos que você não me suporte mais, continuaria te procurando e querendo saber coisas. Bobagens? pois é, se quiser ria como você costuma rir para se defender. Não estou me defendendo de nada. Estou perguntando a você se permite que eu tenha carinho por você, seu idiota. Olha, não se sinta pressionado por nada disso. Nada te obriga a responder nem nada. Pode ficar em silêncio, se você tiver vontade. Mas estou aqui, continuo aqui não sei até quando, e quando e se você quiser, precisar, dê um toque te quero imensamente bem, fico pensando se dizendo assim, quem sabe, de repente você até acredita. Acredite.”

"- Sente falta de si?
- Não, de você. E dói."

(Caio Fernando Abreu)

 A menina que amava...

Aquela menina vivia sonhando... Apesar das chances zero, ela ainda acreditava, acreditava que pudesse mudá-lo, que poderia convencê-lo da sinceridade do seu amor...

Ficava ali na janela, todas as noites, olhando a lua e as estrelas, na esperança de que ele aparecesse, mas ele nunca aparecia... E ela ia dormir, e talvez sonhasse com ele. Acordava e a primeira coisa que fazia, era olhar pela cortina, e mais uma vez, não havia nada lá fora... Entrava no msn, orkut, checava os emails, as cartas... e nada. Ele desaparecera, sem dar notícias, nem ao menos um ‘oi’ mandava mais... E assim os dias iam se passando... Ela foi cansando, e começou a não ir para a janela todos os dias. Começou a ler todos os livros que encontrava, assim encontrando um refúgio... Mas, os livros em sua maioria, eram românticos demais, o que não ajudava muito... Parou com os livros, precisava de outra distração... Começou a assistir filmes, filmes de comédia, ação, terror... Tentando evitar ao máximo romances... Tentou passar a sair de casa, se divertir com as amigas... era difícil mas, era preciso... Acabou sabendo notícias dele por uma amiga... Ele estava bem... Levando sua vida normal, pensando em outra garota, e nem lembrando da existência dela... Foi triste para ela, saber daquilo, saber que nada estava o impedindo de procurá-la, ou de ao menos mandar um recado no Orkut, ou no MSN... Nem que fosse um “oi, tudo bem?”. Nesse momento, ela traçou uma meta, não iria mais esperar por ele, não queria mais mostrar para ele o quanto o amava, iria esquecê-lo assim como ele a esqueceu. Funcionou. Depois de mais 6 meses, ela conseguiu começar a enxergar a sua volta... E depois de mais um tempo, ela está lá na sua janela, olhando a lua e as estrelas, sem pensar, nem esperar mais por ele, estava bem assim... e quem aparece? Ele.

“ – Pensando em mim?”

“ – Um tanto presunçoso não? Mas, confesso que durante muito tempo, pensei...”

“ – Eu nunca esqueci ‘nós’, apesar desse tempo longe...”

“ – Pois eu já...”

Talvez sim, talvez não...

O que andamos fazendo com o amor...? Por que estamos deixando que ele se torne algo tão degradado? Às vezes, inutilmente tento entender o amor... Só percebo ainda mais que é impossível.

É incrível o que o amor acaba fazendo com a gente, ficamos meio lerdos, bobos... e até meio ridículos às vezes.

Certa vez, ouvir dizer que amar era uma das melhores coisas existentes no mundo... Quando se é correspondido, claro. E como nunca amei ninguém que me amou, para mim, amor é apenas uma perca de tempo. Você passa dias, messes ou até anos, pensando e esperando alguém que não ta nem aí para você, ou que mora longe demais, ou que nem se quer uma vez na vida pensou em você... E o tempo vai passando, e você aí, só... Esperando por nada, esperando por algo que não vai chegar... E então você vai cansando, para de esperar, e chega da fase: esquecer. Mas, está presa demais a isso para se dar a chance de outro amor, e continua só... Durante esse período (que pode ser bem longo, ou não), você tenta afastar tudo que te lembre a pessoa, esquecer tudo que você acabou descobrindo sobre ela, se controlando para não dar bandeira, nem clicar naquela bendita janelinha do MSN...

Pensam que é fácil...? Não, não é! E aí quando você acha que ta curada, haha recaída... Recaída que não dá em nada, daí volta p/início da fase. Como se fosse um joguinho de vídeo game. Esquecer, esquecer, esquecer... É, talvez um dia dê certo de verdade. Talvez um dia, haja cura sem recaídas...

Enquanto isso, os dias vão passando... E você, continua aí... sozinho... esperando... seja o esquecimento, seja o enfim deu certo... (é, por que no fundo, a esperança ta lá gritando...) Você sempre acha que vai esquecer, ou vai dar certo. Esquece que pode continuar não dando certo e você não esquecer...

E esse joguinho infinito continua... (ou não).

 

 

Você brinca de não saber... Ou talvez, não acredite...

Como acreditar que alguém possa gostar da gente assim do nada, que um sorriso de alguém possa mudar o dia... Que um simples “oi” pode ter mais poder que milhões de palavras... Que até o silêncio é mais que necessário, desde que se saiba que a outra pessoa está ali... Que o brincar de ignorar pode ser esmagador...

Como entender o que não se pode explicar...?

Perguntas e mais perguntas... Respostas, não tenho. Bem que queria ter... Bem que queria poder entender e explicar isso que acontece comigo...

 

 "Acontece que eu cansei de tentar ficar longe de você..."

 

"Eu poderia falar de quando te vi pela primeira vez, sem jeito de repente te vi assim como se não fosse ver nunca mais... E seria bom que eu não tivesse visto nunca mais, porque de repente vi outra vez e outra vez e outra, e enquanto eu te via nascia um jardim nas minhas faces..."

Ausência - você sempre acaba acostumando com ela.

 

 

A primeira ausência é sempre a mais difícil...

Vc sente falta, procura, busca... Até que acaba acostumando...

Não que não sinta falta, não que não queira que tudo volte a ser como estava sendo...

Simplesmente uma forma de adaptação.

Uma maneira que vc acaba criando p/que aquela ausência te perturbe menos...

Uma maneira de ficar menos vunerável a essa falta.

E com o tempo, vc acaba acostumando tanto com a ausência,

que quando acontece é algo normal.

O que não quer dizer que vc não prefira a presença.

 

 

 

 

 

   Sim, "são tempos difíceis para os sonhadores..."

  

 

 

E acontece que não adianta fugir.

É algo inútil. Você não manda em

como seu coração vai reagir.

O máximo que dá p/fazer é tentar

adiar...

Adiar o inevitável.

 

 

 

Acontece...

Levou um tempo para entender o porquê, de sempre

ficar com aquele sorriso bobo estampado no rosto, depois

de cada conversa. Não entendia, não havia percebido ainda

o quanto mergulhara nisso. Não entendia o porquê de esperar

ansiosa pelo outro dia, só para jogar um pouco mais de conversa

fora. Não havia se dado conta que sempre que parava p/pensar

em algo, recordava as ótimas conversas que tivera..

Achava que tudo estava normal... Até perceber do nada,

que a situação fugira do controle, que havia algo mais nessa

história.

 

  Reticências e ponto final

 

Sabes o quanto significas para mim,

mas finges não saber...

Ou talvez simplesmente não se importe...

Talvez o que ofereço a ti, não seja o suficiente.

Vai saber o que se passa em tua mente...

 

Tentei, tentei entender...

Tentei mostrar-me forte...

Tentei não importar-me...

E falhei.

 

Essa já é uma batalha perdida,

só falta que eu aceite isso.

Só falta que eu enxergue

o que todos já podem ver...

 

Preciso parar...

Deixar tudo acabar...

Substituir logo essas reticências

Por um ponto final.

 

By: Kamyla Viana

Não há muito o que fazer...

 

Geralmente, seguimos aquela linha de gostar de quem não gosta da gente... E quando nos damos conta, já estamos platonicamente “apaixonados” ou mais, amando platonicamente...

Amores platônicos... Alguns nunca deixarão de ser platônicos... Outros com um pouco de sorte e ação, podem deixar de ser algo que só existe em nossa mente e virar real.

Outros, não serão amor, serão um gostar ou uma paixão que passará, seja com o tempo ou com a realização.

Talvez depois de conseguir transformar AP em AR, você acabe percebendo que não era Amor... Era um gostar, um querer... Uma paixão que acaba...

O “problema”, é quando realmente é amor e só cresce de um lado. Quando você nada mais pode fazer. Quando já não se tem com o que lutar... Quando você é obrigado a matar aquilo que sente, porque sabe que as únicas opções são: ‘Viver só de ilusão, sem nada concreto, esperando por algo que pode nunca chegar (e que geralmente não vai chegar)’ ou ‘Tentar viver de verdade, tentar esquecer e viver algo mais real... Algo concreto... Gostar de quem gosta de você e parar de se contentar com as migalhas de atenção, parar de se entristecer pela indiferença... Simplesmente, parar de se importar’.

 

by: Kamyla Viana

Depois de tudo

 

Quando tudo já se perdeu,

Não importa mais quem ganhou ou perdeu.

Não sei se dá para entender

Como tudo chegou a esse ponto,

Mas, é tarde para tentar mudar.

 

As palavras têm um grande poder...

Algumas coisas, uma vez ditas,

Nunca são esquecidas...

 

Por mais que se tente,

Por mais que se queira...

E o que resta é isso.

Isso que sinto agora.

 

Uma mistura de tudo,

E ao mesmo tempo um nada.

É isso. Isso é o que sinto agora...

Nada.

 

by: Kamyla Viana

 

Sentimentos são complexos

 

Não sei como lidar com isso... Não quero machucar, nem magoar os sentimentos de ninguém mas, também não posso mandar nos meus.

 

 

Sabe quando você "se vê" em alguém e pensa: Não acredito que um dia já agi como boba assim... Não que ainda não seja, mas estou progredindo...

 

É bom perceber que hoje em dia, consigo formular frases coerentes, que já consigo enxergar a realidade dos fatos. Só queria entender o porquê apesar de saber que a verdade é o melhor remédio, é tão difícil lidar com ela quando ela acaba com tudo aquilo que você acreditava existir...

 

Por que esse mundo de sonhos e de ilusões é tão mais atrativo? Por que acabamos nos deixando mergulhar em ilusões, e por que demoramos tanto para acordar?

 

A resposta talvez seja: “Porque a realidade é “feia” e a vida não teria a mesma graça sem as ilusões...” ou “Porque viver no mundo de ilusões é mais fácil...”

 

Mas, quem foi que disse que viver só de ilusões é fácil?

 

É preciso entender que só ilusão ou só realidade não é nada fácil. Que sim, precisamos de ilusões mas, precisamos dosá-las com a realidade. Que precisamos de realidade mas, que sem ilusões e sonhos, nada seríamos. É preciso equilíbrio.  

 

Talvez o problema com as ilusões, esteja nessa mania de esperar dos outros mais do que eles podem oferecer... Ou talvez o problema seja o tamanho da expectativa que você cria...

 

Se pararmos para refletir sobre quantas coisas não tomaram o rumo que queríamos, sobre quantas vezes alguém fez da nossa ilusão pedaços, e sobre quantas vezes fizemos pedaços da ilusão de alguém, perceberemos que isso acontece muitas vezes durante a vida, e que nem sempre nós atendemos as expectativas que os outros criam sobre nós... Sendo assim, devemos “entender” quando alguém não atender as nossas expectativas.

 

Já faz algum tempo que não escrevo nada da minha autoria aqui... Às vezes, até escrevo em folhas soltas, que guardo e "esqueço"... Ou começo a criar na mente mas, não anoto, e acabo esquecendo...

Ultimamente, só coloco coisas que gosto mas, que não foi eu quem criou... Talvez quando eu parar de 'procrastinar', eu volte a escrever mais, e a atualizar mais vezes o blog.

"Virginianos são artistas,
talvez por isso vivam sempre na corda bamba.

Virginianos são felizes,
mas, nem por isso,
deixam de lado as dores imaginárias.

Virginianos são poetas
e, talvez, sejam loucos por isso.

Virginianos têm manias
que nenhum outro mortal consegue entender.

Virginianos amam ser amados
e amam intensamente.

Virginianos são libidinosos,
libertários, amantes da vida.

Virginianos são como peixes que
se deixam fisgar por anzóis da vida,
mas, livram-se deles com a facilidade

dos pescadores do mar nórdico.

Virginianos são boas almas,
mas se torturam,
se roem,
se doem,
se machucam
e machucam sem querer.  =(

Virginianos têm o dom de iludir,
Mas, quase sempre acabam iludidos.

Virginianos amam como poucos,
vivem como loucos,
vivem vagando,
vivem chorando.

Virginianos são seres comuns
tentando bancar super heróis
que no fim do dia só querem um
abraço, aliviar o cansaço
entre letras e sentimentos..."

 "são tempos difíceis para os sonhadores..."

Como é o amor

Um dia a gente conhece alguém que até então não era ninguém, ele vai se aproximando de uma forma diferente, meio carente. Ele começa por entender tudo que dizemos, apóia tudo que fazemos, se interessa por tudo que pensamos e almejamos. Aos poucos vamos descobrindo que temos muitas coisas em comum.

Cada dia que passa as conversas vão se tornando mais profundas, quando percebemos já contamos alguns segredos, já mostramos nossas fraquezas, dúvidas e medos. E o tempo vai passando...e esses momentos juntos, cada vez mais aumentando. Começamos a ter a necessidade de contar as alegrias e o desejo de dividir as fantasias. Depois queremos dividir as tristezas, falar do passado, contar de momentos que ficaram marcados. Em todos os instantes queremos a sua opinião pra resolver qualquer questão. Mais adiante queremos falar das vitórias, mostrar nossas glórias, revelar nossos fracassos e exibir nossas histórias. ..e o tempo vai ficando curtinho pra dar tanto carinho,receber tanto amor e esquecer qualquer dor. Esse alguém divide tudo conosco, sem restrições, sem questionamentos, por puro prazer e encantamento.

Quando percebemos estamos completamente dependentes dessa convivência, pois ela preencheu toda a nossa carência. Temos então a certeza que não existe mais ninguém como esse alguém. Ele sabe dar atenção na hora certa e compreender nossas horas incertas. Ele divide conosco emoções, ilusões, sonhos e sensações. Ele se faz presente , mesmo quando não está junto da gente, através de uma canção ,de um poema ou de uma situação. Aí........descobrimos.........já é amor!!

Surgem então batalhas a serem vencidas, lutas a serem decididas e todas vão sendo resolvidas O coração dispara cada vez que ele fala, cada vez que ele chega ou cada vez que se cala. Começamos então a ter desejos, sentimento fulminante que aflora a todo instante. Misturam-se então, alma, coração e tesão........uma louca sensação, irremediável questão. A cabeça começa a não poder mais raciocinar, perde o rumo das palavras, fica escravizada.

Quando tudo parece perfeito....começam a acontecer momentos de dor misturados ao amor. Não se sabe mais o que é direito, não se percebe mais o que deve ser feito. A alma vez por outra lateja na solidão , mas essa mesma alma que chora de tristeza, sabe também dar o perdão, consegue estender novamente a mão. O perdão vem do amor, esquece portanto a dor. Novos momentos de euforia, a luz da paixão de novo irradia naqueles corações, ambos contaminados por emoções.

Faz-se novamente calmaria e a essência de tudo passa a ser só a alegria. Acontece que os desencontros voltam a surgir, os corações voltam a sofrer e o amor vai ficando abalado, vai ficando despedaçado. No fundo da alma no entanto , o amor continua a acontecer, a crescer, a gritar que não quer morrer. ....mas ele coitado, desgastado que está, não consegue suportar mais a dor, não consegue mais se sobrepor.

Chega um momento que é urgente que se faça algo para que esse amor não seja posto de lado, mesmo separados, ele haverá de sobreviver e de alguma forma vencer. Agora então só restará uma solução, deixá-lo viver num passado calado, numa história de um livro ou em algum tipo de arquivo.

Amor é assim, começa sem pressa, quer apenas acontecer, florescer. Amor quando está agonizando não precisa de despedida, não se programa partida, ele simplesmente termina na ruína. Triste e revoltado o amor vai ficando amargurado, decepcionado com o seu destino e aos poucos vão partindo. Um dia, tudo desaba, acaba, numa simples palavra ou numa vírgula mal colocada. Aí, resta só a saudade, resta aquela vontade de voltar no tempo nem que seja só por um momento e tentar mais uma vez ser feliz ou pelo menos fazer com que ele saiba que foi o que a gente mais quis.

(Silvana Duboc)

http://www.reflexaodevida.com.br/079amor.htm

 

"A gente procura um amor que dure o mais possível. Procura, procura, talvez tu ache. Para mim é horrível eu aceitar o fato de que eu tô em disponibilidade afetiva. Esse espaço entre dois encontros pode esmagar completamente uma pessoa. Por isso eu acho que a gente se engana, às vezes. Aparece uma pessoa qualquer e então tu vai e inventa uma coisa que na realidade não é. E tu vai vivendo aquilo, porque não agüenta o fato de estar sozinho."

[Depoimentos > Caio 3D: O Essencial da Década de 1970]

 

 

"Ele me olhava triste. Eu não suportava seu olhar triste a lembrar-me das vezes todas que o tinha procurado inutilmente pelas ruas sem encontrá-lo. Agora que o encontrava já não o procurava. E um encontro sem procura era tão inútil quanto uma procura sem encontro."

[Mas apenas a antigamente guirlandas sobre o poço]

 

 

"Tento me concentrar numa daquelas sensações antigas como alegria ou esperança. Mas só fico aqui parado, sem sentir nada, sem pedir nada, sem querer nada"

 

Parece incrível ainda estar vivo quando já não se acredita em mais nada. Olhar, quando já não se acredita no que se vê. E não sentir dor nem medo porque atingiram seu limite"

 

[Lixo e purpurina]

 

 

"Pois é. Mas hoje eu até queria. Como quase nunca quero. Como quase nunca peço. Tentei e insinuei, mas minha força anda fraca. As circunstâncias me laceram e não me apraz esse apanhar, esse perder lugar. Não sei mesmo que caminho seguir. E o pior que nem é nervosismo o que estou sentindo, nem indignação, só paira sobre mim uma nuvem escura de fumaça e dúvida, sensação de perda de tempo, de resignação, até esperança tem me habitado nesses últimos dias. Esperança. Em mim. Irreconhecível. Ou trouxa."
-
"Lá está ela, mais uma vez. Não sei, não vou saber, não dá pra entender como ela não se cansa disso. Sabe que tudo acontece como um jogo, se é de azar ou de sorte, não dá pra prever. Ou melhor, até se pode prever, mas ela dispensa. Acredito que essa moça, no fundo gosta dessas coisas. De se apaixonar, de se jogar num rio onde ela não sabe se consegue nadar. Ela não desiste e leva bóias. E se ela se afogar, se recupera. Estranho e que ela já apanhou demais da vida.
Essa moça tem relacionamentos estranhos, acho que ela está condicionada a ser uma pessoa substituta. E quem não é? A gente sempre acha que é especial na vida de alguém, mas o que te garante que você não está somente servindo pra tapar buracos, servindo de curativo pras feridas antigas? A moça... ela muito amou, ama, amará, e muito se machuca também. Porque amar também é isso, não? Dar o seu melhor pra curar outra pessoa de todos os golpes, até que ela fique bem e te deixe pra trás, fraco e sangrando. Daí você espera por alguém que venha te curar. As vezes esse alguém aparece, outras vezes, não. E pra ela? Por quem ela espera? E assim, aos poucos, ela se esquece dos socos, pontapés, golpes baixos que a vida lhe deu, lhe dará.
A moça - que não era Capitu, mas também tem olhos de ressaca - levanta e segue em frente. Não por ser forte, e sim pelo contrário... por saber que é fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência. E ama, sabendo que vai chorar muitas vezes ainda. Afinal, foi chorando que ela, você e todos os outros, vieram ao mundo."
(Caio Fernando Abreu)
-
Então, que seja doce.
Repito todas as manhãs, ao abrir as janelas para deixar entrar o sol ou o cinza dos dias, bem assim: que seja doce. Quando há sol, e esse sol bate na minha cara amassada do sono ou da insônia, contemplando as partículas de poeira soltas no ar, feito um pequeno universo, repito sete vezes para dar sorte: que seja doce que seja doce que seja doce e assim por diante. Mas, se alguém me perguntasse o que deverá ser doce, talvez não saiba responder. Tudo é tão vago como se fosse nada. Ninguém perguntará coisa alguma, penso. (...)
-
Ria de mim, mas estou aqui parada, bêbada, pateta e ridícula, só porque no meio desse lixo todo procuro o verdadeiro amor. Cuidado, comigo: um dia encontro.
-
"Seja como for, continuo gostando muito de você - da mesma forma -, você está quase sempre perto de mim, quase sempre presente em memórias, lembranças, histórias que conto às vezes, saudade..."
(Caio Fernando Abreu)
-------------------------------
-
"Ao invés disso, eu me sentia horrivelmente frágil, como se uma palavra pudesse me fazer em pedaços".
(Lua Nova)
"E cada vez era como se um choque eletrico estivesse passando no meu coração há muito adormecido".
(Lua Nova)
-
"Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para n querê-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!"
(Mario Quintana)

Pq toda vez que busco seu olhar, encontro. E vejo no fundo dele, uma esperança... Isso me leva a acreditar de novo... Mas, nada acontece... (Kamyla Viana)

---------------------------------------

sentir, mudar, escolher, gritar, buscar, jogar, ver, ler, chorar, falar, dançar, olhar, fazer, viajar, aproveitar, transformar, pular, mergulhar, escutar, brincar, mexer, esquecer, aprender, correr, ajudar, descobrir, lutar, curtir, abraçar, voar, amar, encantar, divertir, viver, sorrir, brindar, festejar, ficar, partir, dormir, acordar, lembrar, calar, enxergar, ouvir, ser, estar, escrever, fazer acontecer, querer, procurar, conseguir, cuidar, vencer, insistir, persistir, existir, correr, gargalhar, sonhar, fantasiar, adorar, cheirar, mostrar, merecer, acreditar, crer, crescer, evoluir...

 

E assim são minhas noites... fico ouvindo música... Lembrando de coisas que aconteceram... sonhando com coisas que não aconteceram... Viajando no meu mundo, com minhas meias coloridas, que me aquecem desse frio... Mas, meia nenhuma aquece o frio do coração... Cada música me leva pra perto de você mentalmente... Mas, talvez você nem perceba... Talvez você esteja longe demais. E eu continuo aqui... sozinha. E essa solidão machuca... Mas, você não percebe, ou talvez simplesmente não se importe... Queria tanto entender... Entender suas palavras, suas atitudes... Saber o porquê de você às vezes estar tão perto e outras tão longe... Mas, não tenho respostas... Essa sua ausência e esses seus silêncios me confundem... E assim os dias, vão passando... Só te peço que não demore muito... Porque quando você resolver voltar, poderá ser tarde demais para nós dois.

By: Kamyla Viana  

"Diálogo

E você, por que desvia o olhar?

(Pensamento: Porque eu tenho medo de altura. Tenho medo de cair para dentro de você. Há nos seus olhos “verdes” certos desenhos que me lembram montanhas, cordilheiras vistas do alto, em miniatura. Então, eu desvio os meus olhos para amarrá-los em qualquer pedra no chão e me salvar do amor. Mas, hoje, não encontraram pedra. Encontraram flor. E eu me agarrei às pétalas o mais que pude, sem sequer perceber que estava plantada num desses abismos, dentro dos seus olhos.)

Ah. Porque eu sou tímida."

(Rita Apoena)

Eu sentia profunda falta de alguma coisa que não sabia o que era. Sabia só que doía, doía. Sem remédio.

 "é um tanto atrevido supor a mim mesmo atravessar mentalmente todo esse vazio que nos separa."

 “Mesmo que a gente se perca, não importa. Que tenha se transformado em passado antes de virar futuro. Mas que seja bom o que vier, para você, para mim.”

    

Quase...

Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase.
É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.
Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou.
Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.
Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto.
Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo.
De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma.
Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.
Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar.
Desconfie do destino e acredite em você.
Gaste mais horas realizando que sonhando..."

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
Meu Perfil
BRASIL , Nordeste , ITABAIANINHA , Mulher , de 15 a 19 anos , Portuguese , Spanish , Viagens , Livros , Músicas